STJ mantém prefeito de Pacajus afastado do cargo

PEDIDO INDEFERIDO

O presidente em exercício do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, negou, no dia 24 de janeiro, o pedido de suspensão do afastamento do prefeito de Pacajus, Flanky José Amaral Chaves. A 1ª Vara da Comarca de Pacajus determinou, em setembro do ano passado, que o político fosse retirado de suas funções, pelo prazo de 180 dias, para responder uma Ação Civil Pública por prática de improbidade administrativa.

O Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE) já havia indeferido o pedido de suspensão do afastamento feito pelo prefeito. Posteriormente, Flanky José recorreu ao STJ, que também indeferiu o pedido.

Segundo o ministro Humberto Martins, “a decisão de primeira instância é detalhada e menciona vários e fortes indícios de malferimento à legislação vigente no cotidiano da administração municipal. Ela também evidencia o fundado risco de interferência nos processos de apuração em curso”.

O ministro afirmou, ainda, em sua decisão, que não viu motivos para conceder o cargo de volta ao prefeito antes do prazo imposto pela Comarca de Pacajus.

Ação

A decisão da 1ª Vara da Comarca de Pacajus atende a uma ação de tutela de urgência cautelar em caráter antecedente a ação civil pública por ato de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público, através da 2ª Promotoria de Justiça.

Gravações, depoimentos, auditoria realizada pelo Tribunal de Contas apontaram indícios de que o prefeito e seu pai, José Wilson Alves Chaves, associados a servidores públicos e empresários, coordenavam um esquemapara cometer ilícitos em detrimento do município de Pacajus.

José Wilson Alves Chaves é ex-prefeito de Pacajus e também já foi afastado, durante o seu mandato, por improbidade administrativa.

Diário do Nordeste

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.