Rejeitado pelos pais, homossexual arrecada 50 mil dólares para realizar o sonho de entrar na universidade

Apoio dos Amigos

Uma vaquinha online arrecadou mais de 50 mil dólares para o jovem americano Seth Owen, de 18 anos, depois de sua família o expulsar de casa por causa de sua orientação sexual. Com boas notas no currículo, o estudante da Flórida tinha acabado de receber a carta de aceitação na Universidade de Georgetown. Mas sem o apoio financeiro dos pais, o sonho seria adiado porque era necessário um financiamento de 20 mil doláres para o primeiro ano na universidade.

Em entrevista para rede de televisão americana NBC, Owen afirmou que aquela seria sua única chance de entrar na faculdade. “Comecei a chorar porque percebi que não havia como ir para a faculdade. (…) Georgetown era minha única opção, porque eu já havia negado minhas outras aceitações”, disse.

Quando o adolescente começou a perder a esperança, sua professora de biologia e mentora no ensino médio descobriu sobre sua situação, se reuniu com outros professores e alunos para descobrir uma maneira de ajudá-lo. A solução foi criar uma página em um site para arrecadar o dinheiro para a mensasidade de Owen.

Em poucas semanas a página já tinha arrecadado mais de 50 mil dólares. (Foto: Gofundme/Reprodução)

Em poucas semanas a página já tinha arrecadado mais de 50 mil dólares. (Foto: Gofundme/Reprodução)

“Sabemos que Seth não é o tipo de pessoa que pede ajuda. Ele sempre foi de lidar com as coisas sozinho (…). Então, chegamos ao ponto em que nos reunimos e assumimos a liderança para garantir que ele receba o que precisa”, disse Jane Martin, em entrevista à NBC News.

O site foi criado em junho deste ano. Depois de seis semanas e mais de 750 doações, a página de arrecadação de fundos ultrapassou os 50 mil dólares (R$ 187,610 mil), mais que o dobro de sua meta inicial de 20 mil dólares (R$ 75.044).

“Ele teve tanto apoio e muitas pessoas chegam e dizem ‘Você não está sozinho’ e ‘fica melhor’, todas as coisas que todos nós precisamos ouvir quando somos adolescentes esquisitos e estamos sofrendo (…). Estou muito animada por ele ter essa comunidade literalmente se juntando e juntando todos os braços para criá-lo e criá-lo pela primeira vez”, conclui a professora.

Owen ainda espera que o valor de sua mensalidade seja reajustado, e se isto acontecer, ele planeja criar junto com Martin um fundo de bolsas para outros adolescentes que enfrentam uma situação semelhante.

Um porta-voz da Georgetown disse à rede de televisão americana NBC News que “admite e matricula os alunos sem levar em conta suas circunstâncias financeiras e está comprometida em atender a necessidade financeira demonstrada de alunos elegíveis”. “Trabalhamos em estreita colaboração com estudantes cujas circunstâncias financeiras podem mudar após a admissão”, declarou o porta-voz.

Inspiração

O estudante conta que espera que sua história inspire outros adolescentes a falarem abertamente sobre problemas semelhantes ao seu. “Mantenham a cabeça erguida (…) É difícil ser quem você é genuinamente quando tem toda essa pressão em torno de você de todas essas pessoas diferentes em sua vida, mas se você se sentir confortável com quem você é, você está muito mais preparado para enfrentar esses tempos difíceis ”, conta.

Owen planeja se mudar para cidade de Washington, no próximo mês, para se juntar à turma 2022 da Universidade de Georgetown.

G1

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.