Petrobras queria aumentar diesel, mas Bolsonaro manda segurar preço

Anúncio teria desagradado presidente

A Petrobras desistiu nesta 5ª feira (11.abr.2019) de aumentar o preço do diesel nas refinarias após fazer o anúncio mais cedo. De acordo com o portal G1, o recuo ocorreu após uma determinação do presidente Jair Bolsonaro. Para justificar a decisão de manter o preço, a estatal afirmou que “há margem” para adiar o aumento do combustível por “alguns dias”.

Em nota, a petrolífera afirmou que, “em consonância com sua estratégia para os reajustes dos preços do diesel divulgada em 25 de março, revisitou sua posição de hedge [proteção] e avaliou ao longo do dia, com o fechamento do mercado, que há margem para espaçar mais alguns dias o reajuste no diesel“.  Leia a íntegra do comunicado.

Segundo o G1, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que o diesel é importante para os caminhoneiros e para o transporte de cargas. Também declarou que o reajuste seria 1 solavanco na economia.

No início da tarde, a estatal chegou a informar que o valor médio do litro do combustível nas refinarias subiria 5,74%, de R$ 2,1432 para R$ 2,2662, a partir desta 6ª feira (12.abr).

Tabela disponível no site da Petrobras, no entanto, mostra que o preço do litro do diesel segue em R$ 2,1432, mesmo valor praticado desde 22 de março:

Poder 360

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.