Jovem teria sido preso após tirar ‘selfie’ para testar celular roubado

O aparelho pertencia a um agente da Polícia Civil

O estudante Lucas Gabriel Ferreira Laranjeira, de 18 anos, está preso desde o dia 19 de fevereiro, apontado como autor de um roubo de celular na região de São Mateus, zona leste de São Paulo. O aparelho pertencia a um agente da Polícia Civil, que teve o celular e o carro roubados na semana anterior à prisão.

Mas, de acordo com a família, o estudante é inocente e foi preso unicamente por causa de uma foto no celular do policial civil. Ele teria tirado uma ‘selfie’ para testar o aparelho, e isso teria sido o suficiente para a polícia prendê-lo, já que a vítima teve acesso à foto.

Já a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo) diz que o jovem foi reconhecido pela vítima como sendo o autor do crime.

O estudante deu entrada ao CDP (Centro de Detenção Provisória) de Santo André (Grande São Paulo) na manhã do dia 25 de fevereiro, três dias depois de o TJ-SP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo) converter sua prisão de temporária para preventiva — quando aguarda julgamento no presídio.

Rapaz teria sido preso por causa de uma 'selfie'

Rapaz teria sido preso por causa de uma ‘selfie’

Segundo a mãe do rapaz, Cláudia Ferreira Laranjeira, 37 anos, o celular roubado tinha sido oferecido para o estudante por R$ 300. Sem saber a procedência, o jovem pediu para ver o aparelho e testar a qualidade da câmera tirando uma selfie. Depois disso, tentou comprar por R$ 150, mas os possíveis envolvidos no crime não aceitaram o valor.

A foto que Lucas tirou teria sido o suficiente para levar o jovem à prisão. Isso porque a imagem do rosto de Lucas foi automaticamente para o sistema de armazenamento na nuvem da conta da vítima (que pode ser acessado de outros aparelhos).

O policial civil, identificado no boletim de ocorrência apenas como ‘agente de segurança’, de 37 anos, teria levado a foto para seus colegas que, a partir da imagem, começaram uma caça ao jovem na região onde o aparelho foi roubado.

Quando os policiais civis chegaram até Lucas, ele estava em uma rua próxima da casa onde mora, trabalhando, segundo Cláudia, na retirada de entulhos e venda de reciclagem juntamente com o pai.

Ela afirma ainda que Lucas estava trabalhando com serviços informais pelos últimos dias. “Ele ia trabalhar comigo. Só estava esperando a empresa mudar de endereço para começar a trabalhar na lavanderia comigo. Ele seria lavador”, diz a mãe.

Lucas é apontado como autor de roubo de celular

Lucas é apontado como autor de roubo de celular

Governo se omite

Após a SSP-SP ter enviado uma nota dizendo que Lucas foi preso por ter sido identificado pela vítima, no dia 25 de fevereiro, o R7 fez uma série de questionamentos sobre o caso. Dentre as perguntas, estão as circunstâncias da prisão, se o aparelho estava em posse do suspeito e se a foto foi fundamental para a prisão.

Depois de vencer prazo solicitado pela reportagem, no dia seguinte, por meio de contato telefônico, a pasta disse que não tinha recebido a solicitação e, por isso, pediu mais tempo para apuração por parte da secretaria. A reportagem estendeu mais 24 horas.

Em novo contato telefônico no dia 28 de fevereiro, conforme havia sido combinado, a SSP-SP informou que havia apurado as informações, mas aguardava autorização para enviar a nova nota respondendo aos questionamentos da reportagem sobre o caso.

R7

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.