Jean Wyllys vai à ONU falar mal do Brasil e ouve o que não quer: ‘abandonou eleitores’

Mentiras respondidas

Nas Nações Unidas em Genebra (Suíça), nesta sexta-feira (15), o ex-deputado Jean Wyllys (PSOL) não inovou e voltou a atacar o Brasil e o presidente Jair Bolsonaro, a quem chamou de “racista e homofóbico”.

O ex-BBB, que abandonou o mandato para morar na Alemanha após supostas ameaças contra a sua vida, também descreveu o governo brasileiro como um “regime autoritário”.

Embaixadora Maria Nazareth Farani Azevêdo.

Integrante do partido socialista, ele participou das eleições de outubro, teve apenas 24 mil votos, conseguiu garantir uma das últimas vagas pelo Rio de Janeiro, mas preferiu morar na Europa.

A embaixadora do Brasil na ONU, Maria Nazareth Azevêdo, respondeu com firmeza e indignação, lembrando que o presidente Jair Bolsnaro, sim, “foi vítima de um atentado real contra sua vida”, e não fugiu do Brasil e “nem cuspiu na cara da democracia”.

A chefe da representação do Brasil na ONU também reafirmou que o governo Bolsonaro vai defender os direitos das comunidades vulneráveis inclusive a LGBTI, e lembrou o discurso nessa direção proferido pela ministra dos Direitos Humanos, que visitou a ONU na semana passada.

Não foi divulgado quem bancou a viagem do ex-deputado do PSOL à Suíça.

Diário do Poder

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.