Comitê de Direitos Humanos da ONU pede que Lula possa concorrer ao Planalto

Órgão pede manutenção dos direitos políticos

O Comitê de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas) –composto de representantes de 47 países– acolheu 1 pedido de advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e, em documento oficial (íntegra), pediu às autoridades brasileiras que permitam a Lula concorrer à Presidência da República.

O texto foi assinado por 2 integrantes da comissão de direitos humanos da organização. O caso ainda está sendo avaliado pelo  comitê e não há decisão final.

No ofício assinado nesta 6ª feira (17.ago.2018), o órgão conclui que há indícios de violação do art. 25 do Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, criado em 1966 e assinado pelo Brasil em 1992. Por isso, requere que Lula tenha seus direitos políticos garantidos enquanto estiver preso, incluindo acesso adequado à mídia e a seus colegas de partido e a própria candidatura até que seu processo judicial seja concluído em todas as Instâncias.

A defesa de Lula emitiu nota (íntegra) em que ressalta a manifestação do comitê da ONU em defesa de que o ex-presidente possa concorrer até que seu processo transite em julgado (tenha todos os seus recursos julgados em todas as Instâncias).

O presidente foi condenado pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) a 12 anos e 1 mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Segundo a Lei da Ficha Limpa, por ser condenado em 2ª Instância, não pode concorrer a cargos públicos.

Lula está preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR). O PT registrou sua candidatura à Presidência na 4ª feira (15.ago), com o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad como vice. Caso Lula não possa concorrer, Haddad deve assumir a candidatura, com Manuela D’Ávila (PC do B) como vice.

Poder 360

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.