Ciro diz que viajou a Paris para não explicar por que não faz campanha com os “marginais do PT”

O ex-presidenciável participou de audiência sobre a reforma da Previdência na Assembleia Legislativa do Ceará

O candidato derrotado a presidente Ciro Gomes (PDT) respondeu às afirmações de que teria ido “passear em Paris” após o fim do primeiro turno das eleições de 2018. Durante participação em evento na Capital, na última segunda-feira, 12, o deputado Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara, havia ironizado indiretamente o pedetista.

“Esse lado bandido do PT precisa entender que eu saí no segundo turno para não ter que explicar porque eu não faço mais campanha com o marginais do PT”, disse o Ciro ao ser questionado sobre as declarações do petista.

Antes de participar de uma audiência na Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE), Paulo Pimenta havia dito que o “PT não é daqueles que, na hora da dificuldade, vai passear em Paris”. Logo após o fim do primeiro turno das eleições presidenciais, o ex-ministro da Fazenda, que foi terceiro colocado na disputa, anunciou que passaria uns dias de férias em Paris, na França.

Na época, apoiadores esperavam apoio do ex-governador do Estado a Fernando Haddad (PT), que disputava a presidência com Jair Bolsonaro (PSL).

Ciro disse ainda que maioria dos integrantes da sigla é “gente boa” e a militância é composta por pessoas “sérias”, mas criticou aproximação do partido com o ex-senador Eunício Oliveira (MDB), no Ceará, e com Renan Calheiros (MDB), em Alagoas. “Não aceitamos mais dizer amém para bandidagem do PT, ou o PT muda essa direção ou nós vamos enfrentá-los como estamos fazendo agora”.

Ciro x PT

Esta semana, Gleisi Hoffmann e o pedetista já haviam trocado ataques. Durante entrevista ao Valor Econômico, Ciro classificou a cúpula do partido como uma “quadrilha” e “organização criminosa”, acrescentado que a presidente da sigla seria a chefe.

Em seu perfil do Twitter, a ex-senadora respondeu às críticas do ex-presidenciável: “Ciro Gomes é um coronel oportunista, ressentido e covarde. Quando a conjuntura exigia sua presença, fugiu para Paris”.

Por meio de nota, a comissão executiva nacional do PT lamentou as declarações do ex-ministro da Fazenda, concluindo que, ao atacar a sigla, Lula e Gleisi, Ciro “se alia aos que atacam a democracia, os direitos sociais e a esquerda brasileira”.

Com informações da repórter Luana Barros

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.